quinta-feira, março 15

O amigo virtual


Decidi-me a aceitar o amigo virtual.

Tenho bons amigos de carne-e-osso e felizmente todos os dias mais alguém se aproxima desse degrau. Amigos distantes mas sempre presentes, que têm sido imprescindíveis na minha Estrada. Amigos à Walt Disney, amigos para sempre!
Mas o tempo que aqui passo, em frente ao monitor, levou a que a necessidade natural de comunicar se aliasse à sede pelo experimentalismo para me colocarem nesta nova fonte: o amigo virtual. Aquela entidade sem rosto, sem cheiro, sem temperatura e sem sexo, que encontramos em Blogs ou no Messenger. Amigo “apenas” pelas palavras lidas e trocadas.

O conceito não é novo, presumo que os Correspondentes existam desde que o Homem aprendeu a enviar a palavra. Fosse por papiro nas águas do Nilo, nuvem de fumo nas planícies norte-americanas ou a carta selada a-la século XX, o Homem gosta de trocar emoções com entidades absolutamente estranhas, de criar relações socialmente anómalas mas comprovadamente emocionalmente necessárias.

Eu decidi entrar por uma porta menos radical, a do hi5. É a que na selecção proporciona mais dados ao feeling, a que permite comunicar (estar) com alguém precisamente quando tu queres, tendo-se um contacto menos exigente e impessoal que p.e. o abominável Messenger.

Estou a gostar das companhias, das experiências e das respostas. Foi uma boa escolha.
As necessidades ocupam-me um pouco mais que o tempo disponível, mas é um tempo virtualmente de qualidade, na criação de confianças e no consumo de emoções, por isso ultrapasso-o com prazer.

Descobri que, tal como na vida real, me mantenho fiel aos primeiros amigos e os contacto regularmente, e que, mesmo não sendo aqueles com quem mais vezes estou são aqueles por quem tenho um maior carinho, na verdade um carinho surpreendentemente efectivo.
Descobri paginas e grupos que passei a visitar com assiduidade, descobri muito boa musica made in pt, descobri diálogos interessantíssimos com colegas artistas e desportistas, descobri mais ideias… e claro, descobri profissionais da Net, compradores, vendedores, prestadores de serviços, e gente muito marada dos cornos, mas (por enquanto) este factor apenas acrescenta gozo a este enorme mundo em que habitam os amigos virtuais.

Diferente do Mundo “lá fora” é a intensidade que se emprega em cada relacionamento, e a possibilidade de não termos terceiros a opinar sobre o nosso amigo. Tudo o resto me parece, à sua escala, cativantemente semelhante. Mas vamos ver…

Abraço virtual

5 comentários:

Cindy disse...

Olá!
Já me convidaram várias vezes, mas ainda não me dei ao trabalho de ver como funciona o Hi-5... principlamente por falta de tempo!

A única observação que faço é que tenhas cuidado... nem sempre o que parece é e mais ainda o virtual... infelizmente já tive 2 grandes surpresas desagradáveis...

Beijokitas e boas conversas!

Phantasma disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Phantasma disse...

Olá meu AMIGO.

Passa-se o tempo e aos que são sinceros não interessa a maneira moderna ou antiga de cultivar as amizades.

Espero que aproveites o Hi5, pois é o que eu estou a tentar fazer num sistema semelhante do Google, o Orkut.

Mas voltando ao núcleo deste POST, seja através das águas do Nilo, através do Pombo Correio ou mesmo de um BLOG, aproveito para dizer-te que na minha opinião és um gajo de ESQUERDA, sim porque é do meu lado esquerdo que estás guardado ;-)

Um grande abraço acompanhado de beijos à família...

...E até sábado!

Dias... disse...

Oi Cindy

Se houver algum tarado que meta na cabeça que me vai fazer mal, a mim ou a quem me for querido, não ha nada que eu possa fazer para o evitar, seja virtual seja real. Por isso nem vale a pena pensar nisso, é ir tendo algum cuidado e desfrutando.

Um dia, com tempo devias contar as tuas más experiencias, até como alerta para novos utilizadores.

Beijinho

Dias... disse...

Boas Phantasma

À esquerda também eu te tenho a ti

E agora siga adiante antes que começemos os dois a chorar :)

Abraço

Inté domingo

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem