quarta-feira, junho 12

Facebookadas

"A doutrina do choque - a ascensão do capitalimos de desastre" by Naomi Klein (uma jornalista de investigação à-seria) explica quase tudo... o resto nós temos cabeçinha para dois mais doiszar.


Só me choca que os supostamente "melhores", pagos a preço de futebolista para lá estar, não sejam capazes de reconhecer o que até a minha Mãe já reconheceu... estamos a ser explorados !  

(reescrevam as letras dos melhores Fados porque os tugas estão a viver um Blues)

quarta-feira, junho 5

Madrugadas...


04 e 30 da matina. Telemóvel ;

Amigo, só me apetece gritar !!...
Então miuda ?...
Isto e aquilo e aqueloutro... E tu, porque estás acordado a estas horas ?
Porque o teu telefonema me acordou...

segunda-feira, março 25

R.I.P.

Até já minha querida.

p.s. - pic not by AC

domingo, fevereiro 24

Violentem-se com o que realmente vale a pena.

Meia vida fui parte de uma claque.
Deixei de o ser quando tirámos uma vida.

Hoje, levo a minha filhota ao Rugby.
Porque o Football, tanto o jogo como o apoio, em Portugal, são uma tremenda bosta !!

sábado, fevereiro 23

Dias

Oh filho, se tu já desististe de procurar, porque é que continuas a lutar com tanto afinco ?

Porque tu estás a ser roubada pelo estado há quase quarenta anos, sem dares luta.
E porque a minha filha já deve quatro mil euros ao estado e ainda não sabe lutar.
Por mim, pouco faço...............

terça-feira, fevereiro 19

Acreditanços.

Acredito que a maior parte dos homens seria capaz de fornicar com as mulheres dos amigos/conhecidos, tal como acredito que a maior parte das mulheres é capaz de fornicar com os homens das amigas/conhecidas !
É uma questão de humanidade e não de humanismo... somos diferentes mas sexualmente demasiado semelhantes !

Acredito que circunstancialmente soframos ambos dos mesmos dilemas mas raramente das mesmas motivações !
Só por isso é que acredito que somos ambos humanos, de resto somos animais bem diferentes !



Amo as minhas amigas e odeio as minhas mulheres !!

p.s. - pic not by AC

sábado, fevereiro 16

Pedaços de mim.

Às vezes quero abraça-la e nunca mais a largar.
Às vezes quero do passado um futuro para sonhar.
E bebo esta e aquela sem conseguir fugir
e estrago tudo o que não tenho para conseguir dormir.
Às vezes olho sem ver o que seria emoção.
Às vezes encontro pedaços de mim pelo chão.
E fumo disto e daquilo sem conseguir escapar
ao castigo do sonho vivo, a maldição de amar.

Mas antes um miserável com a alma trucidada
que nunca ter vivido o tudo nesta rua do nada!
Mas antes velho e acabado sem sonhos por sonhar
que velho choramingado no balcão de um bar!

Às vezes quero apagar tudo o que fui de mim.
Às vezes sei que precepito a vinda de qualquer fim,
e Ícaro me lanço sem desejo nem vontade
em qualquer falsa mudança, uma outra realidade.
Às vezes recolho do rio uma esperança
que nos passos até casa transmorfo em matança.
Às vezes acredito que sim, outras que não.
Já não encontro desculpas para este não coração.

Mas antes um miserável com a alma trucidada
que nunca ter vivido o tudo nesta rua do nada!
Mas antes velho e acabado sem sonhos por sonhar
que velho choramingado no balcão de um bar!

Às vezes quero abraça-la e nunca mais a largar.
Às vezes quero do passado um futuro para sonhar.
Às vezes olho sem ver o que seria emoção.
Às vezes encontro pedaços de mim pelo chão.

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem