terça-feira, maio 22

O Tempo que Cura

Na idade das descobertas aprendi com o Povo que “O Tempo tudo cura!”, e realmente, o Tempo de tudo me tem curado. Mas o ditado popular, convenientemente, omite as Cicatrizes… as cicatrizes não saram com o tempo, as cicatrizes NUNCA saram!

Sobreviver à minha ultima Morte foi uma surpresa.
O tempo deixou de existir. Não parou, tornou-se desnecessário.
Fiquei suspenso no querer ou não continuar… aceitar ser o vácuo depois de ter sido a perfeição, fotografar o nada para alem do tudo que antes fui, cantar sem o feeling do Tejo, desenhar a moldura sem tela que somos quando o Amor não agarra.

Fiquei suspenso no querer ou não continuar… até perceber que mesmo morto fotografava, cantava e desenhava. Morto por morto prefiro cantar!

Mil vezes amaldiçoei o Tempo que por mim deixou de passar, mil vezes amaldiçoei tudo o resto… e quando já só existiam coisas boas para amaldiçoar, saturei-me de amar e de odiar, cansei-me de não ter forma ou conteúdo, fartei-me de não ser Eu. Decidi ser alguém todos os dias e, dia a dia, cá estou mais próximo do que fui e com o Tempo voltarei a ser.


A Cicatriz lateja,
ubíqua, mas já não baila ao ritmo da Aorta, constante! Agora a Cicatriz é apenas a minha pele, mais um pedaço de mim. O registro, de olhos fechados imperceptível, de que Eu sou um dos privilegiados que tua com o Amor.

Não deixo de estar morto mas já consigo viver. A alegria não é a mesma mas é genuína e é o de facto, também graças ao Tempo.

Abraço cheio de força para todas as palavras primas que me musaram a escrever este texto

(Vou empacotando cicatrizes numa qualquer gaveta do esquecimento e por lá as tento forçar a ficar, para que não estorvem a respiração e o sorrir do pouco mais que ainda pretendo viver)

39 comentários:

Miosotis disse...

Definitivamente.......és um querido!!!
Não consigo ler o texto na íntegra porque.....sei lá....acho que rebentou por aqui algum cano de esgoto e as águas pestilentas das cicatrizes assumidamente reabertas jorram por aqui....
E meus olhos já não colaboram.
Mas sinto!!!
Amanhã quem sabe?!
Beijos perdidos por entre as miosótis

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
gelada morte sinistra que arranca carne putrefacta disse...

Mas estás morto ou vivo?

Miosotis disse...

Meu querido ....tinha "dias"......os tais lanches ...uns no Vavá, outros no Tatú ou na Suprema!!!
:)))
Enfim...good old days!!!
Já volto para te ler.
Uma pétala de miosotis para ti.

Betty Boop disse...

Quem tão bem fala da dor, saberá com certza dar-lhe o lugar certo... com o tempo...

(nem sei que mais dizer-te!)

Fica um beijo!

Cindy disse...

As cicatrizes ficam para sempre, por muito que a ferida esteja sarada! E as feridas de amor, essas parece que nunca saram e arrasam com o nosso bem estar, por muito que queiramos estar bem!
O tempo é, na realidade, o melhor amigo... não cura, mas ajuda a cicatrizar!

Beijokitas boas!

P.S. Hoje é Feriado Municipal por estas bandas e tenho aqui o terrorista de fraldas a querer deixar um comentário tb! ;)

mari crrrrruuuu... disse...

Olá!
Este é daqueles textos que começo a ler e não consigo parar. Adorei! Apesar de todas as cicatrizes que carregas, é bom ver que não deixas que estas se apoderem de ti e que não desistes de viver, ou no mínimo de cantar, embora "depois da morte".

E o último parágrafo está brilhante!

Bjinho*

Miosotis disse...

E pronto, aqui estou eu de novo.
Depois de ter feito tudo o que me incumbi fazer...depois de ter colocado uma rolha na inundação ocular...depois de amordaçar palavras declaradamente teimosas que insistiam em se manifestar, quando devem é ficar guardadas no saco....enfim...
Voltei e já te li!
Finalmente!
Estamos nós na barca dos naufragos?!
Mas estamos vivos não estamos?!
Esse tal de "tempo" é o antisséptico eficaz para todas as feridas...
E com o "tempo", a barca chegará a bom porto, vais ver....
E as cicatrizes que ficam, essas só rebentam de novo quando as arranhamos.
Vivamos pois com as nossas cicatrizes arrumadinhas no cantinho da memória, e as consequentes dores metidas na prateleira mais alta do armário do tempo.
Hoje é dia de arrumações...
daquelas que se fazem de ano a ano!
Já está tudo arrumadinho?
Então agora vamos cantar...e viver!
Deves estar neste momento a pensar assim:
"olha quem fala!"
ou então...
"Diz o roto ao nú..."
Pois é.....mas esta é a minha sugestão. Aceitas?!
Ou vamos continuar a carpir mágoas?
Um abraço forte em ti.
Tenho uma miosótis na mão...azul.
Entrego-ta. É para ti.
Quero um sorriso teu de volta.
Beijo deixado nas pétalas.

Dias... disse...

MIOSÓTIS
Querido? Naaa… apenas sinto e, neste caso, conheço bem o que sentes. Não o desejo a ninguém e se de alguma forma puder contribuir para que menos sintas, cá estou eu.
Beijo forte

SMR
Incrível conseguir esquecer também as cicatrizes da alma… és uma privilegiada Sónia.
Beijo

GELADA MORTE
Morto claro, mas vivo!

Dias... disse...

BB
Obrigada e outro para ti.

CINDY
Bingo!

MARI CRRUU
Obrigada.
Beijinho

MIOSÓTIS
Excelente texto (mais um)
Beijo sorrido

Papoila Sonhadora disse...

Ola Andre, vim passageira como uma nuvem que nao consegue permanecer muito tempo no mesmo lugar... Mesmo assim, gostaria que soubesses que adorei a imagem utilizada no teu texto de uma "gaveta", ha muitas gavetas, para diversos fins. A mha e uma gaveta aberta nas nuvens, nunca no mesmo lugar, mas sempre la,...
Deixo-te um bjinho de algodao doce com o aroma das laranjeiras em flor,
Papi Sonhadora,

fuinha disse...

É verdade que o tempo cura tudo, mas há coisas que não têm como ser curadas, há feridas que embora cicatrizem por fora, por dentro continuam a sangrar de dor, continuam a ferir e teimam em nos lembrar da sua presença. Há que fazer um esforço para tentar esquecer e pensar sempre que o futuro ainda nos trará coisas muito boas.O tempo esse, ajudará claro, à sua maneira.
Vive intensamente e vive feliz porque a tristeza em nada nos ajuda, só nos amarga o coração.
Beijokas grandes da terra do sol, e que este beijo te aqueça um pouco o coração.

Ana disse...

Quando as feridas ficam realmente curadas, as cicatrizes, que de facto permanecem, servem para nos tornar mais fortes, mais adultos, para nos lembrar os valores a que devemos dar primazia na vida.
Por isso muitas cicatrizes são até benéficas e é bom que permaneçam para além da passagem do tempo, afinal, elas podem impedir-nos de cometer repetidamente os mesmos erros.
Parabéns pelo blog!

Dias... disse...

PAPI
Estava muito triste nessa tarde, fotografei-me para tentar captar algo... dias...
Beijo

Amiga FUINHA que pela prosa se aventura para enorme alegria do meu sentir :)
Tens toda a razão e eu sempre o soube. Tenho demasiadas coisas boas para sofrer pelas perfeitas.
Tu és uma das coisas boas.
Beijo

ANA
Absolutamente de acordo, as cicatrizes são as "gavetas" onde guardamos o melhor e o pior dos nossos passos. A nossa Enciclopedia ambulante.
Obrigada

sonhadora disse...

As cicatrizes não sáram. Nunca! E a hipocrisia deixa cada uma!
Hoje, regresso a mim e pernoito na magia do sonho.
Beijinhos embrulhados em abraços

as velas ardem ate ao fim disse...

As cicatrizes da vida nunca saram diz me a minha (e tua) experiencia de vida.



bjos

Miosotis disse...

Grata pelas palavras amigas.
Sempre!!!
Beijos

Silvia disse...

Um beijo......
Porque me apetece;)

impulsos disse...

Dias...
Empacota essas cicatrizes sim... e não deixes que elas te estorvem a normal circulação do sangue que te corre nas veias e te mantém vivo aqui e ao pé de nós!
Eu, por mim, empacotei as minhas em várias caixas de cartão, que guardei lá bem no fundo, naquele canto empoeirado e cheio de teias de aranha... espero não as voltar a ter que ver!

Adorei o teu texto, embora um pouco nostálgico e com um certo toque de tristeza.

Beijo num impulso meu

collybry disse...

Verdade que as cicatrizes o povo não relata...O Espirito sobrevive a todas as mortes,meu doce beijo e meu rastoooo_________

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dias... disse...

SONHADORA
Nunca saram!
Abraços embrulhados em beijinhos.

AS VELAS
Beijos

MIOSÓTIS
Obrigada, beijos

SÍLVIA
Idem Idem

IMPULSOS
Já foi noutro dia
Obrigada

COLLIBRY
Na maior parte dos Dias penso que sim, que o Espírito sobrevive a todas as Mortes.
Beijo

SMR
1- Beijo grande
2- Ser Modelo nem sempre é tão agradável como parece.
3- Não dou importância aos erros mas sim aos conteúdos.
4- Outro beijo

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sonhadora disse...

Empacota essas cicatrizes na prateleira mais recôndita do tempo. Ele curar-te-á algumas delas mas há outras...que só terão cura quando partires.
Beijinhos embrulhados em abraços

Capitão de Malta disse...

senhor dias! é só para lhe dizer que o seu blog é tão bom que já faz parte dos meus links. Ainda te vou ver a "bater" a Margarida Rebelo Pinto na literatura cor-de-rosa.
Beijos e abraços.

marisa disse...

Nada a crescentar...
Só deixar um beijo imenso por tudo quão belo nos deixas aqui, um agradecimento muito especial e uma grande admiração por tão lindas palavras...
É mesmo isto...
Obrigada...

Teresa Durães disse...

empacotar cicatrizes não é solução. Quando um dente está careado a do só passa com tratamento. O mesmo com as vivências. E o tempo não cura, atenua, um pouco diferente. Se não aprendemos a olhar e a entender o que se passou, num dia de surpresa tudo regressa

bom dia

Miosotis disse...

Uma flor pra ti....

____________888888
____8888___88888888___8888
___888888_8888888888_888888
___888888888888888888888888
___888888888888888888888888
____8888888888888888888888
_____88888888888888888888
_______8888888888888888
_________888888888888
______________**
____####______**______####
___#######____**____#######
____#######___**___#######
______######__**__######
________#####_**_#####
Que tenhas um dia lindo!
Beijos espalhados pelo campo de miosótis

Dias... disse...

Bom dia SÓNIA
Beijo de parabéns (mais um…)

SONHADORA
Neste momento consigo dirigir as cicatrizes e não ser dirigido por elas. Estou bem.
Abraços mil

CAPITÃO
Oh Captain ma Captain, conceda-me você a oportunidade de BATER na Margarida Rebelo Pinto para que a minha literatura ganhe cores que mais e melhor lhe agradem.
Abraço

Dias... disse...

MARISA
Obrigadíssima e um beijo.

TERESA DURÃES
A diferença entre o Curar e o Atenuar é para mim mais que suficiente, por ser a diferença entre conseguir respirar e sorrir, ou apenas chorar. Empacotados respiro e sorriu...
As surpresas que poderão regressar um dia? Sobrevivi a esta, um dia de cada vez.

MIOSÓTIS
Obrigada, idem para ti.
Beijos

Narcisus disse...

Lindíssimo!

mari crrrrruuuu... disse...

Dias >> Sim, vendo por aquele prisma tens razão :)

Obrigado pelas tuas palavras no meu castelo!

Bjinho*

Diva disse...

Empocaotar cicatrizes...amei o post.
Bjs meus

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miosotis disse...

Grata pelas visitas e pela sugestão.
Quem sabe...talvez...vou arranjar "tomates"!
E escrevo sim, sempre!
Ajuda-me a entender-me.
Ainda bem que gostas do Almada..... eu também.
Beijos na noite perdidos

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cindy disse...

Venho reclamar! Tô tiste!
Não estou incluída dos teus "do costume"! :(
magoei...
beijokitas

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem