domingo, maio 13

Medos

Alguns foram os espaços que habitei, mas nunca tinha vivido sozinho.

Na mesma bandeja que me trouxe a excitação da novidade, e a paixão dos planos para respirar (semana sim semana não) os dias de Pai solteiro, foram-me também servidos os receios “típicos” de quem habita sozinho um espaço.

Medo da Invasão
É o mais palpável dos medos; ter o nosso espaço violado por intrusos. No entanto, foi um medo que me visitou com menor regularidade, porque é mais confortável defender um espaço quando não existe o compromisso de uma família nas costas.

Medo do Escuro
Identifico-me com a penumbra, dentro e fora de portas, mas compreendo que possa ser desagradável. Tive o privilégio de viver em espaços que me permitiram adormecer sobe janelas abertas de cortinas e estores, por isso este é um Medo por quem não me recordo de ter sido visitado.

Medo da solidão
Os silêncios, as rotinas dos silêncios, as formas patéticas de se preencher os silêncios… a inexistência de contactos, de afectos, de partilhas… o jantar solado, crua e cruel a cama fria… Várias noites de solidão esmagam qualquer hipótese de alegria!

Medo do “Desconhecido”
Sozinho sou mais vulnerável ao paranormal e essa é uma porta que não quero ter aberta. Várias noites temi não estar espiritualmente só, mas continuo a optar pela ignorância.

Medo da Doença
O hipocondrismo tende a desaparecer quando não existe ajuda presente…

Medo da Responsabilidade
As preocupações inerentes ao ter de gerir um espaço sem qualquer ajuda. Eis um temor que não me chegou a roçar, sei gerir o que tenho com o que tenho.

Medo do Medo
Não tive muito tempo para ansiedades, estive ocupado a sentir.

Abraço com algum Medo

9 comentários:

Kanoff disse...

- Quem é o teu herói literário favorito?
- D’Artagnan. Por se integrar bem no colectivo. Já sabes: sou de esquerda...
- Pois o meu herói é Robinson Crusoe. Por ser individualista. Já sabes: sou de direita...

impulsos disse...

Esses medos são comuns a mais gente do que aquela que se possa imaginar... nem todos têm a coragem de o admitir.
Tenho a certeza de que qualquer um que passe pelo mesmo, é assolado por esses mesmos fantasmas... geralmente de noite, que é quando finalmente deitam a cabeça na almofada e pensam a sério no que lhes aconteceu...
Eu não sou excepção, só que sempre soube gerir bem esses meus medos, pois nem tive tempo para me aperceber deles!...

PS.Sim, Falco... adoro, também é do meu tempo e tinha de o trazer de novo "à vida"!!!

Beijo num impulso meu

Chibo disse...

Medo de assumir a vida.

Dias... disse...

KANOFF
Patrick Bateman, e algumas criações de China Mieville, Sven Hassel ou P.K.D.

Uma esquerda Marxista ou uma Direita à-la Olof Palme ?
Abraço

IMPULSOS
À noite os instintos disparam, os bons e os maus.
Num impulso um beijo

CHIBO
Normalmente é mais confortável vive-la do que assumi-la.
Abraço

sonhadora disse...

Uma semana de sonho.
Beijinhos embrulhados em abraços

Chibo disse...

Hã?

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dias... disse...

SONHADORA
Embrulha um abraço num bejinho e idem para ti.

CHIBO
Sim concordo, o "Medo de assumir a vida" é real, por isso geralmente é preferivel vive-la sem a assumir.

SONIA
Um beijo temerario

Moonlover disse...

Enfrenta todos os medos com determinação,
não imaginas o que somos capazes quando a necessidade nos desafia;)

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem