domingo, maio 20

Hospital Francisco Xavier SUCKS!

É inacreditavelmente admitido que as multinacionais da farmacêutica testem os seus produtos nas populações mais necessitadas mas, medicamentos como a pílula não podem ser testados em povos em que o conceito da contracepção é inexistente. E é ai que nós entramos, neste caso, as nossas mulheres.

Anos e anos de pílula corromperam a ovulação (25% dos casos de forma definitiva) da mulher portuguesa que, quando quer ser Mãe normalmente tem à sua espera um largo intervalo de ansiedades entre o deixar de tomar a pílula e o engravidar. (fico triste pelas amigas que desistem de ser Mães pelos efeitos secundários que a abstinência da pílula causa aos seus corpos)


Depois de anos de tentativas, ela conseguiu! Uma gravidez de alto risco mas ambos estavam felicíssimos.

Num dos primeiros checks de rotina (multiplicados por dez nas gravidezes de risco) foi dado o temido sinal de alarme que a levou directa ao Hospital São Francisco Xavier para perder o filho que tanto querem, ao ponto de o próprio casamento, no meu pensar, por falta deste filho perigar.

A partir daqui a história envereda por estradas que não compreendo, mas sou suficientemente não-estúpido para compreender que algo está muito errado e não é só com os pais.

Na mesa abriram-na, fecharam-na e foram-se embora, trocaram de turno sem deixar uma única palavra aos familiares que apenas horas depois tiveram o nervo de agarrar uma bata branca pelos colarinhos e colocar a questão: Como está a minha mulher? Como está o meu filho?

O que a bata com óculos lhes respondeu foi que tinha acabado de chegar da sua vida, e que segundo o processo a minha cunhada tinha sido aberta, observada e fechada.

Existe um quisto no assunto, um quisto que, já foi explicado, é natural nas gravidezes, surge com as alterações morfológicas e morfologicamente se consome com a adaptação da Mãe às mesmas. Para estudar um quisto natural não é necessário abrir alguém de urgência.

No processo não existia qualquer referencia à remoção de um feto, mais, não existia qualquer referencia a um feto… Existem sintomas de gravidez mas não existe feto, não é raro mas também aqui não é necessário abrir alguém de urgência para se procurar um feto camuflado algures numa trompa ou parede exterior do útero.

Dois dias passados recambiaram-na para casa, sem explicações à Operação de Urgência, e com um papel que diz que a gravidez está a decorrer normalmente…

Pessoalmente não tenho muito a apontar ao Hospital São Francisco Xavier, mas começo a conhecer demasiadas pessoas que o têm.

Cheira-me a incompetência nos procedimentos técnicos mas acima de tudo no trato com a emoção dos futuros pais que deixaram de o ser para já não saberem se o são ou se a mulher vive ou morre, e agora, qualquer um o percebe, recuperam a esperança de ser pais por uma vez, por esta única vez.
Anos de emoções condensados em dois dias sem uma única palavra de quem abriu, viu, e fechou…

Abraço aos cunhados

(o “estatuto” de cunhado é mesmo para toda a vida?)

26 comentários:

Silvia disse...

Infelizmente muitos se queixam dos hospitais portugueses, e eu também. Por tudo o que tenho evito de ir ao hospital... Prefiro sofrer em silêncio do que não saber de nada. Ou ser tratada como foi da última vez que tive que ir de urgencias ao Hospital. Quase que morria la dentro.
Quanto aos medicos... Não me queixo da minha, ela é 5 estrelas comigo.
Cunhado, se é pa toda a vida? Hum... Da minha parte é, mas tenho os meus motivos para dizer tal.
Um beijo e bom domingo.

sony disse...

Pois por experiência própria e muita...para mim existem 2 tipos de médicos, ou seja aquele que é médico porque não se imgina a fazer outra coisa, exerce ganhando muito ou pouco ou até voluntariamente apenas por pura dedicação...esse desdobra-se em mil para salvar esse sim é sangue puro!
Por outro lado e já me calharam também alguns...os 2 ultimos estão com queixa na psp e um deles no 1º dia de estágio ficou inscrito no livro de reclamações...o que é péssimo para um médico...esses tipos são médicos pelo estatuto, porque essa profissão infelizmente na sociedade os põe nos pincaros, são os senhores doutores, e ganham rios de dinheiro...mesmo cometendo as maiores barbaridades...por vezes como estou muito ligada a essa profissão, costumo até brincar e dizer ao meu sobrinho"Estuda filhinho...estuda...vês o ou a Dr/a trabalhou na clinica da mamã e numa hora recebeu o que a mamã e o tio recebem num mês de trabalho!"
E questiono sobre o dito trabalho...erros e mais erros gravíssimos...que são corrigidos por exemplo como pessoas como a minha irmã...que por acaso é responsavel...mas questiono-me se não fosse?
Se os donos das clinicas sabem e directores de hospitais...claro que sabem...encobrem-se todos...acredito na medicina, acredito em médicos...acredito e afirmo...os médicos são os meus melhores amigos...mas afirmo também...que não morri por sorte, por esperteza minha...não por muitos erros cometidos por esses médicos "SEM RAÇA PURA"
Se os cunhados são para sempre?
Depende da tua definição de cunhado/a!
Eu por exemplo sou casada e muito bem, mas considero que os irmãos do meu marido, não são mais que irmaos do meu marido, não tenho cunhados!
Já a minha irmã considera o meu marido como cunhado e vice versa!
Penso que depende de tudo e do nada!
Um bj Sony:-)
Um bj Sony:-)

Som Do Silêncio disse...

Bem os Hospitais estão cheios de processos por negligencia, isso é um facto inegavel.
Eu por minha vez a muito que optei por um seguro de saude privado (ja sei, ja sei que nem todos podem pagar seguros desse tipo, mas é bem preferivel ir a uma consulta a um medico particular do que a um hospital publico)
Beijinhos

Dias... disse...

SILVIA
Sempre tão bom ver o teu Avatar por aqui, ou por ali... é sempre bom ver-te.
Repito que pessoalmente não tenho nada demasiado absurdo a apontar, mas os relatos/pesadelos acomulam-se, parece que voltou a não ser seguro entrar num Hospital.
Um beijo

SONY
A minha noção de cunhado fiasca logo no facto de eu não ser casado, mas por tudo o que temos vivido juntos, SINTO que sim, que somos cunhados.
Beijo

SOM DO SILENCIO
Eu não hesitaria um segundo, se inves de descontar para o estado pudesse descontar para um plano de saude privado...
Beijinho

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Miosotis disse...

Não....não é estatuto para toda a vida.
"Os afins dos afins, não são nossos afins!" -Estatutos de Direito da família - Código Civil

Quanto a todo o resto.....nem teço qualquer comentário. Para quê?!
E desta vez gostei de te ler...eh..eh
Também tens dias e....Dias!
Fica bem meu querido e bom início de semanita.
Beijos.

Miosotis disse...

Ah....esqueci-me de dizer uma coisita:
Contrariamente a ti, EU tenho MUITO A APONTAR ao Hospital S. Francisco Xavier.
Beijos de miosótis

marisa disse...

Começando pelo fim, Os estatutos, são para manter enquanto os sentimos...
E o texto em si, na dor, na doença, ficamo sem margem para comtemplaçõe sou desculpas, quando sabemos que é alguem dos nossos que sofre e muitas vezes de forma irreversível, aí a raiva apodera-se de nós. É legitimo o que sentes, a dor dessa mulher, mas não basta falarmos entre nós, desabafarmos com quem nos quer bem, há que impor aos hospitais e aos médicos, uma qualidade e assistencia, pela qual pagamos bem caro.
O estatudo de Dr. não lhes dá direito a toda a indiferença que demostram.
Um abraço de solidariedade...

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Cindy disse...

E ficamos assim? Sem respostas?

Infelizmente sei de muitos casos, mas felizmente nunca tive qualquer problema em hospitais!

Não sei como reagiria, mas acho que não saía de lá sem uma resposta concreta.
1º trata-se de 2 vidas, não de uma só e 2º abrir, ver e fechar não é definitivamente uma resposta coerente!

Trata-se da incompetência de alguém que querem a todo o custo camuflar e espero que não tenha repercussão no futuro dos teus!

Desejo a maior sorte do Mundo para esse casal e para o seu rebento!

Beijokitas boas e boa semana!

Betty Boop disse...

Bolas!
Que angústia!

Há dores indisiveis, até para aqueles que estão tão perto!
Mesmo entre um casal é tantas vezes difícil dizer, entender, suportar.

Há realmente sofrimentos indisiveis, e inacessiveis. Não está em nós resolver seja o que for (da vida dos outros, claro está!) só podemos estar lá!

Papoila Sonhadora disse...

Ola, vim deixar-te um bjinho de algodao doce,
Papi Sonhadora,

Miosotis disse...

Passeei aqui de novo...
Deixo-te um beijo escondido entre as miosotis.

Betty Boop disse...

Inês?!?!?

Quem é a Inês?

LOL

Bjs

Miosotis disse...

Ops....desculpa!
Passeei por aqui antes de ter visto o teu coment...
Obrigada André (nem sabia ser esse o teu nome)...
Dizes tu, que o tempo cura tudo!!!
Talvez um dia possamos conversar...
Mais uns beijos escondidos por entre os miosótis.
Quem sabe talvez os descubras.

Dias... disse...

SMR
Um beijo de bom pos-almoço

MIOSOTIS
Hum, fiquei então a saber que posso sentir mas não tenho cunhados...
Ainda bem que gostas-te.
Beijos

MARISA
Comigo presente as “coisas” têm tendência a ser tratadas de outra forma, melhor ou pior mas de outra forma. Tenho um alto grau de tolerância, mas dependendo dos dias exijo competência a todos os níveis.
Abraço

Dias... disse...

CINDY
A falta de respostas só compromete os responsáveis…
Os “cunhados” são HOJE dois miúdos apavorados. Realizaram UM sonho e estão a vive-lo como O pesadelo.
Jokitas

BB
Inês? Conheci uma, mas já não mora aqui ;)
Beijo

PAPI
Beijo ENORME miúda e obrigada.

MIOSOTIS
Eu costumo andar por aqui mas quando sair procurarei entre os Miosotis
Beijo

Miosotis disse...

André,
Laços familiares pouco me importam.
Ou gosto e dou tudo...ou não gosto e nem sequer me dou ao trabalho de dar o NADA.
E de facto cada vez mais constato que existem pessoas que nada nos são, mas representam muito mais do que aqueles que nos dizem directamente respeito.
É lamentável mas é um facto.
Desculpa se me fiz interpretar de uma maneira menos correcta, mas naquele comentário que fiz apenas deixei o cunho jurídico dos laços parentais, muito embora já lá estivesse implícita a minha modesta opinião.
Desculpa também esta nossa (mais minha que tua)troca de comentários com um cunho mais personalisado, aqui no teu espaço.
Fica bem....eu tentarei!

sonhadora disse...

e a nossa família é um tesouro.
Boa semana!
beijinhos embrulhados em abraços

Mestre disse...

Há de facto gente competente e incompetente em todo o lado, e na saude, infelizmente, os maus continuam a exercer.

No entanto contínuo a confiar nos médicos, já que desde tenra idade tive complicações de saúde que foram sendo debaladas com maior, ou menor dificuldade, quer no público como no privado.

Guardo um carinho especial pelo Serviço de Urologia do Desterro, um hospital a cair de podre mas com gente ENORME.

E para os que fogem dos médicos, acreditem que fazem mal. Se tivesse feito o mesmo há quatro anos atrás não estaria cá para contar. Infelizmente, tudo depende da "sorte" de quem nos atende.

Betty Boop disse...

Então e essa Inês? Era uma tipa porreira?

Também já tive de pensar se os cunhados eram para sempre ou não... Penso que se há crianças... elas serão sempre Pai/Mãe do nosso sobrinho, por isso estarão por lá... Quando não... Não sei! Temo que desapareçam!

as velas ardem ate ao fim disse...

Arrepiante!Somos seres humanos.

bjinhos e força para a familia.

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dias... disse...

MIOSÓTIS
Absolutamente de acordo com absolutamente tudo :)

SONHADORA
Um TESOURO

MESTRE
Eu também acredito, mas começo a ter duvidas...

BB
É estranho existir a possibilidade de ser Tio mas não ter qualquer afinidade com os Pais do sobrinho... com crianças, concordo contigo mas pelo sentir, nada defensável numa argumentação.
A Inês? Era uma tipa bem fixe ou bem mazinha, porque me “apresentou” a ti ;)

AS VELAS
Muito obrigada.

SÓNIA
À um ano atrás descarregava-te 1 giga de ajuda, hoje não... sorry :(

Cindy disse...

Eu não sei o que é ter irmãos, nem cunhados!! lol
Não faço a mais pálida ideia do que isso seja, mas não será só um parente adquirido?

Beijokitas!

S.M.R. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem