segunda-feira, dezembro 10

Insultos

Reconheço no Português uma frutuosa capacidade para insultar, mesmo que a esmagadora maioria desses insultos parta do desnecessário.
Distante da capacidade de “cuspir facadas” de um Alemão ou de “ser molestado por bodes” de um Russo, mas mesmo assim considero que temos um óptimo leque de possibilidades de encher a boca e libertar peito e estômago com o requinte do nosso calão.
Infelizmente, acho que os mesmos vocábulos que de catarse vocal nos servem, são pobremente utilizados e desconexos no sentido…

Os mais comuns:
- Vai-te foder! Ordenar a alguém que vá copular não pode ser considerado ofensivo, pelo contrário, demonstra a nossa aptidão natural para amar o próximo, a genese do 5º império.
- Caralhos ma fodam! é das expressões mais intrigantes da ofensividade lusa, principalmente porque comum é ouvi-lo da boca dos mais machos dos Machos Latinos. Desejar ser penetrado por mais de um pénis também não pode ser considerado ofensivo para terceiros, é apenas a manifestação da auto busca do prazer, e de prazer no plural. Gostamos de muito prazer, amamos a vida que fadamos, somos Lusitanos.
- Vai pró caralho! sim, já tem peso semântico, se bem que não deva ser utilizado quando dirigido a fêmeas, principalmente às namoradas ou esposas, porque se elas realmente forem “pró caralho” tornam-nos Cabrões, este sim um insulto de real peso para o Ego do Macho Latino que gaba o quanto encorna mas mata quando encornado.
- Depois temos os que de tão corriqueiros de Insulto perderam o carácter, como Merda e Puta, e os que de tão desprovidos de peso fonético nunca chegaram a insulto ser, como o Idiota, o Imbecil, o Pulha, o Crápula

Pessoalmente prefiro o dedo espetado. É mais físico, envolve uma maior carga sinergética, expressa melhor o que sinto. Mas num face-a-face, enche-me um belo dum Va Fan Culo! Não tem a amplitude maxilar dum Filha da Puta, que à Tripeira enche por completo boca e peito no dizer (catarse pelo ruído) mas tem a vantagem de poupar os familiares do insultado, desejando-lhe antes uma situação com maior probabilidade de ser desagradável.

Lembro-me do “Que comas alcagoitas espanholas ao pequeno-almoço”, do “Vai obrar fino no meio de Silvas sem folha”, ou do “Mete a pata num ninho de víboras”, tudo situações bem mais desagradáveis, apresentadas com maior requinte, o requinte que deve existir numa ofensa... e lamento o quão mal se insulta hoje em Portugal.

Abraços

16 comentários:

***Serena*** disse...

Bom...
Grande post este!
Haja alguém com coragem para tal!
Parabéns!
***

Capitão de Malta disse...

Este teu post faz-me lembrar um texto elogioso do MEC aos palavrões...como dizia ele: não fica nada bem um gajo mandar um tipo para o pénis ou para a vagina da tua tia! Os palavrões são bem mais literários e soam sempre muito melhor!
hasta.

M. disse...

São palavras voláteis, não marcam, não tocam. Mas resistem aos tempos. Não é por acaso que Portugal é país de poetas e escritores. Foi sempre mestre em inventar palavras resistentes. Quando os insultos caíram aos pares sobre as sílabas nasceram os versos de cinco iambos por cada decassílabo.


Abraxos a tu.

Gostei do Alce! É fofo esse alce.

Cleopatra disse...

Ele há dias em que, de manhã, à tarde não se pode sair à noite.
POIS!

gasolina disse...

E mai nada!
Texto muito bem construído, recorrendo a signos e imagens e usando uma linguagem requintada que há muito não encontrava.

Gostei muitissimo.

Embora para mim, insulto seja insulto, sem grau de qualidade.

Um beijo enorme, Grande Dias

impulsos disse...

Dias... não gosto, não digo mas sou obrigada a ouvir palavrões.
Não me considero púdica, só não gosto desse tipo de palavras feias.
Fica mal a quem as diz e envergonham quem as ouve sem querer!
Infelizmente os nossos jovens de hoje, usam-nas como se fossem palavras normais e numa frase mais ou menos longa, metade é dita com palavrões obscenos... é feio!

Beijo

marta saldanha aldim disse...

Há melhor forma de insultar que não recorrer a palavrões. Não dar resposta, ignorar, ou simplesmente ridicularizar a situação fazendo o outro parecer muito inteligente.
Não gosto de palavras ou frases ordinárias. Não nos levam a nada. Não nos educam. São ditas sem sentimento.

Mas gosto de te "ler" ;)

beijo

Marta
http://martasaldanha.spaces.live.com

Boop' disse...

Ehehehe
Concordo contigo!

Muito bem dizido!

marta/andarilha disse...

Gostei muito!

KI disse...

Epá Dias André que se te cole um caramalo aos dentes de cima e de baixo. Nã se inisulta pá lol!!
Excelente!!

Beijão

Pratas disse...

Haha :) Realmente, palavras são palavras e nada mais :)

Goddess Night disse...

Está deveras bem escrito este teu post e com conhecimento de causa. Se prevalecerem as pessoas que dizem palavrões, sem serem ordinárias e longe do insulto, confesso que não me aquecem nem me arrefecem.

Beijos e abraços.

Mestre disse...

Só faltou o "Energumeno" para teres o portfolio todo. :)

Como em tudo neste país, até nos insultos falta qualidade.

Lídia disse...

... que bem dito!

mari crrrrruuuu... disse...

Admiro os temas que abordas e a forma como o fazes... Única, tua!

Bjinho enormeeeee:D

GarçaReal disse...

Ai, nem imaginas o que me ri...
Fantástico este post,pois estas tuas ideias arrasam-me.
Ri a valer,juro que vou daqui bem disposta.

bjgrande em ti

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem