quinta-feira, fevereiro 21

Este estado, não obrigado!

Não quero entregar dinheiro ao estado para que cuide da minha saúde, porque de qualquer forma terei de a pagar para merecer o atendimento minimamente digno de clínicas e hospitais particulares!

Não quero doar dinheiro ao estado para que cuide da minha educação, porque de qualquer forma gastarei rios de dinheiro em livros, fotocopias, transportes e propinas que prefiro gastar directamente numa privada, onde mesmo assim terei telemóvel e carteira roubados, professores incompetentes, falta de condições para estudar e programas ultrapassados (ai este tratado de Bolonha...)

Não quero que o estado me construa pontes e estradas que passarei o resto da vida a pagar em portagens de privados. Os privados que as construam e depois se amortizem com elas/connosco.

Não quero que me defendam rodoviariamente com imposto sobre imposto de selo do selo, prefiro que a irradiação dos impostos automóveis me permita ter acesso a carros de outro escalão, mais recentes, mais seguros, obrigando também a que a fatia do erário utilizada no transito passe a ser utilizada com senso.

Não quero que o estado me proteja no direito de eu ter um Lar, prefiro que quem constrói coloque o seu próprio preço e que a banca lhes responda, com total liberdade de todos os intervenientes, e sem qualquer do estado que já ganhou o seu (nosso) nos impostos dos impostos e selos dos selos para quem pretende construir.

Não quero que o estado cuide da minha reforma com dinheiros que de qualquer forma já não tem, prefiro investir muito menos que um terço do meu salário num qualquer plano poupança reforma que me dará pelo menos sempre o dobro das condições que o estado hoje me promete para daqui a 30 anos... quando já cá não estarei, nem eu nem ele.

Quero pagar a minha vida apenas uma vez, ser eu a discutir o meu preço directamente com os particulares a quem o estado me vendeu! Não necessito da intervenção do estado nos meus dinheiros, muito obrigado mas já chega, deixem-me ser eu a enriquecer com o meu trabalho e a escolher a forma como quero ser cuidado hoje e amanha, se faz favor.

19 comentários:

moonlover disse...

Onde é que eu assino!?

Subscrevo inteiramente ;)

um beijazo

GarçaReal disse...

Fabuloso...
Eu que trabalho em saúde , eu que sou de medicinas , eu que vejo como este ramo está em permanente degradação, subscrevo tudo o que disseste.
Tratado de bolonha? ( um desastre )...Mais um...Enfim

Gostei

bjgrande do lago

Cindy disse...

Um grande aplauso de pé!

Como todos nós sentimos isso na pele... qualquer dia emigro para um país que me dê as mínimas condições, para as quais pago... sei lá... Alemanha, por exemplo!

Beijos bons!

Statler disse...

Falemos de negócios!!!!

Miúdo, tenho umas propostas a fazer-te.
Ofereço-te Vida.

(pagas com o corpo, esse corpinho lindo)

Constantinne disse...

gostei.
beijos loool

Mestre disse...

Amigo

Por mim era a "viuva negra" a fazer das suas no Terreiro do Paço, podia ser que assim alguém aprendesse.

Nestes momentos lembro do filme Madagascar e de uma frase genial dos pinguins: "É rir e acenar, rir e acenar."

Pratas disse...

Sinto cada uma das tuas palavras... mas não consigo abandonar este Portugal... raízes demasiado fortes..

1 Abraço

Teresa Durães disse...

este tipo de "Não" escolhe-se em épocas de eleições...

desculpa mas temos o que merecemos. nada fazemos para alterar o que for

Dias disse...

MOON
Assina num cheque em branco se faz favor :)
Dois beijazos

GARÇA
Eu deveria ser o, ou dos ultimos, a "beliscar" a nossa saude, poque tenho tido a sorte de ser bem melhor tratado que quem me rodeia, mas o "espirito de corpo" obriga-me a menciona-los.
Grande beijo

CINDY
Yap, na Alemanha está-se bastante bem. No meu caso o plano sempre foi simples: primeiro Espanha e depois morrer na Nova Zelandia... estou atrasado mas ainda estou a tempo (acho...)
Bons beijos

Dias disse...

STATLER
Been there, done that... (quando o corpo ainda tinha piada).

CONSTANTINNE
Loool de beijos agradecidos para ti.

MESTRE
Normalmente rio-me, bastante até, com os nossos surrealismos sociais, mas hás vezes tenho mesmo de botar fora para conseguir continuar a rir.

Dias disse...

PRATAS
Amo Portugal, até do Povo eu consigo gostar, mas a falta de actitude é-me machado!

TERESA
Claro que temos o que merecemos e existem sufragios para nos expressarmos. Eu sei que sou eu que estou mal, logo, terei de ser eu a mudar-me.

as velas ardem ate ao fim disse...

Aqui está o dedo na ferida!Um texto muito bom e de uma grande licidez e verdade.Não quero este Estado!

bjinho grande

mari crrrrruuuu... disse...

Excelente, dias!
Que tal enviares ao Parlamento ou ao próprio Presidente da República? Ao Sócrates sabes que não vale a pena...

Eu também assino!
Bjinho

Teresa Durães disse...

não serás só tu que estás mal. contra mim falo. Mas por vezes cansam-me as concersas de bancada onde se pensa lançar os dados e no fim todos se retiram e encolhem a cabeça perante a injustiça.

impulsos disse...

Um grito de revolta perante um quadro dos nossos dias.
A negação do pagamento de uma factura bem pesada!

Também quero e vou assinar este tratado.

Beijo

Menina do Rio disse...

Concordo contigo!
Esta falsa ilusão que somos filhos do estado, quando na verdade ele nos escraviza, amarra no tronco e açoita.

Um beijinho soprado ao sabor do vento

:)

Dias disse...

AS VELAS
Muito obrigada
Grande beijinho

MARI
Se acreditasse que serviria para algo, enviaria, mas não acredito...
Beijinho

TERESA
Somos um país de "treinadores de bancada" é o que me ocorre como sinonimo de "socialmente (práticamente) inexistentes".

IMPULSOS
São dias, às vezes tenho destes...
Beijo

MENINA
E desse lado ainda é mais absurdo...
No sabor do vento forte e frio, beijinho recebido, e retribuido.

Goddess Night disse...

Não podia deixar passar sem te dizer que infelizmente estou de acordo contigo...E como eu lamento toda esta M....

Anônimo disse...

Subscrevo em baixo!
concordo com tudo o que escreveste aí nesse belo post que retracta onde vivemos...mas daí a abandoná-lo? Para Lutar num outro talvez de uma certa forma para melhor...???

Não me considero que morra pela pátria, mas talvez com alguma atitude da parte dos Portugueses e não a fuga das galinhas, talvez algo melhorasse!

Apenas um talvez!
Afinal ainda é o povo que paga impostos!
talvez um pouco mais de atitude!
Sony

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem