sábado, junho 13

Dias de Lastro

Emagrecer o roupeiro já não me dói. Passo pela historia de cada peça com sentir mas, ao ensaca-las para um outro alguém, sorrindo o faço.

Esventrar prateleiras e gavetas da memoria incomoda-me mas, funcionalizou-se o deslastrar-me de objectos que já não lembro dos porquês... mantenho o que nunca lerei e o que não voltarei a ouvir, o restante com Dadá foi.

Precipitaram-se as circunstancias para me arrumar também com as gentes, catalogar quem e como me são. E neste processo, amputei-me do coração para reduzir as arestas da Gang aos que merecem o meu amor, invés de aos que eu amo.

Com menos roupa, menos tralha e menos Amigos, mas mais leve, mais saudável, e mais proximo da Lua.


Beijos e Abraços, bastantes !!

5 comentários:

moonlover disse...

Um gesto lindoooooo


um AbraBeijo Lunar de quem se sente parte do gang!
*b

Teresa Durães disse...

Também habituei-me em largar o que não quero ou não necessito. Assim, larguei também os conhecidos

M. disse...

Se há menos amigos ficam os que importam. Agora são os aconchegos, as brincadeiras, os passeios a duas e três mãos (sem esquecer as quatro patas de vez em quando). Tudo o resto são acessórios que te privam da lua.

beijo

Dias disse...

MOON
Sim Moon, estás NO meu caminho :)
*a

TERESA
Os conhecidos têm um papel giro mas realmente a maior parte dos dias so estorvam :)

M
Acho que pela primeira vez neste seculo vou tirar ferias, daquelas de mais de 2 fins-de-semana seguidos, daquelas a-seria, que não têm mesmo nada haver com quem trabalha a recibos...
Estou mesmo mesmo a precisar de meter a cabeça do lado de fora um bom bocado porque respirar é um acessorio que me priva da Lua.
beijo

mari (a)penas... disse...

Com menos conhecidos, mais perto dos que te são muito, mas feliz serás com toda a certeza.

E as tralhas nesta altura não aconchegam. Cansam, dão calor...

As memórias importantes e os bons momentos ficarão. E o espaço que ganhas é necessário para a plenitude do presente.

Gosto de te ler...

Beijo*

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem