domingo, setembro 7

miss u

Espontâneo me foi reencontrar
nas esquinas vazias de Agosto
sentir que sem querer quero lar
saber-me sem ti apenas pouco.
Mas Setembro trouxe as gentes
à precoce consoada do castigo
porque dizer do que me sentes
é dizer-te apenas que respiro.

Vem chuva vem como te amo
como Lua e Mar como Carne
vem chuva enche-me do sano
vem antes que se faça tarde.

11 comentários:

GarçaReal disse...

Palavras para quê?

Perdi o poder de comentar...

Sublime. Acho que retrata!

Bom domingo

Bjgrande do lago" miúdo"

Paradoxos disse...

tu sim, és o verdadeiro poeta!!

forte abraço


gostei imenso da palavra - tua!

Goddess Night disse...

Fazes com que me sinta mais companheira da chuva e ignorar melhor um Verão que não me agradou particularmente!
Com poesia, regas esta minha insuficiência!
Assim, abres as portas ao Outono, com um encanto que quase havia esquecido.
Está lindo. Adorei!

Beijos renovados:-).

quanto pesa o vento? disse...

um outono dourado e cheio de esperança.
muito bem escrito.

Enfim... disse...

magnifico...continuas com o teu jeito lol

beijinhos
boa semana

Anônimo disse...

Antes que se faça tarde ...
Deixo-te um beijo desejando também eu que a chuva nos abrace .
Belissimo ...como só tu .
Beijo-te-me-nos com ou sem chuva...
sempre

(*)

disse...

Nao posso ter medo de te dizer que a inspiração também te vem de dentro porque o sinto quando o leio.
Não posso ter medo porque as dúvidas são pouco para as certezas que trago.
Que o inverno te abrasse e te faça às cavalitas diminuir o espaço fisico que ocupas e te ocupe a cama e a alma, porque o sabor é de chocolate quente junto à janela embaciada que transparece a chuva que tanto amas, e sempre podemos Girar à Chuva para beber esse chocolate quente logo de seguida.
Beijo Bom nestas palavras

Gato Aurélio disse...

hoje chove muito, muito,
e parece que estão lavando o mundo.
meu vizinho do lado contempla a chuva
e pensa em escrever uma carta de amor
(...)
entra em casa pela janela e não pela porta
por uma porta se entra em muitos lugares
no trabalho, no quartel, no cárcere,
em todos os edifícios do mundo
mas não no mundo
nem numa mulher
nem na alma
quer dizer
nessa caixa ou nave ou chuva que chamamos assim
como hoje
que chove muito
e me custa escrever a palavra amor
porque o amor é uma coisa e a palavra amor é outra coisa
e somente a alma sabe onde os dois se encontram
e quando
e como
mas o que pode a alma explicar?(...)

Juan Gelman

;O)

M. disse...

Oh nãooo, é o meu primeiro dia de férias, importas-te de ficar caladinho mais um tempo, nem dances sequer.. Por experîência sei que consegues sempre a vinda da tua amada chuva; que quando ela vem corres por ela dentro como um bufalo pela savana. Bem me pareceu que estas nuvens no final da tarde eram suspeitas.

Um beijo grande, rumando a sul.

Cindy disse...

Um beijo bom!

Carla disse...

adoro todas as esquinas vazias de Agosto, mas a chuva...não!
A não em finais de tarde ociosos que me levem até à areia da praia
beijos

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem