domingo, agosto 30

O Amigo da Madeira


Fui descobrindo um altinho num tomate, e até gozava com a malta: “entre nós existem 5 colhões!”. E continuo a gozar: “entre nós existem 3 colhões...”

Entrámos juntos na 1ª classe do São João de Brito e foi ele a razão porque também juntos continuámos para a António Arrôio. Sem ele teria seguido qualquer coisa que me fizesse entrar mais alto na Portugal Telecom, para ser apenas um pouco melhor que a minha Mãe. Depois, mais TUDO fizemos juntos, uma vida!

Lembro-me de receber um SMS, daqueles de quem viu “O Túnel de Luz”... mas já os recebi e mandei tantos que só ontem por trás do sorriso cool percebi, e por trás do sorriso cool fui egoísta como nunca com um Amigo! Espanquei-o no Ego, porque somos vida e da vida lho tenho!

Fui mau porque me lixa ver os Amigos desperdiçarem-se, e me fode ver os melhores vulgarizarem-se! Mas fui MUITO mau porque invés de o beijar no colhão em abraço, lhe descarreguei toda a raiva de o puder ter perdido!

Também o ajudei, mas ajudei-me mais a mim. Sou humano, melhor que muitos mas humano!

Beijos e Abraços, meio regressado meio não...

4 comentários:

M. disse...

Desde que não te remoas por achares que podias ter feito de outra maneira. às vezes "sovar" um amigo no ego é para bem dele.

Até tu precisas de umas sovas de vez em quando.

sejas bem regressado, ou meio.

beijo.

Teresa Durães disse...

deixei de sentir seja o quefor quando os amigos vulgarizarem-se. Cada um tem a(s) sua(s) opção(ões) de vida. O máximo que poasso fazer é afastar-me

Mestre disse...

Amigo,

já havia aquela anedota que um homem dizia a outro:

"Sabe, aqui entre nós há 5 tomates"

Ao qual o outro responde~:
"Não me diga que o meu amigo tem 4"

o humor tem destas coisas e deve ser visto como o relembrar que antes rir que chorar. Já o ego, deve ser sovado quando a incúria e o desleixo podem transformar uma situação complicada num quadro clínico sem prespectivas positivas.

E aqui para nós, quantos no mundo da tinta que numa conversa comigo só há 3 colhões presentes. ;)

Pratas disse...

Dou-te os parabéns pela frontalidade, fizeste muito bem.

Eu tenho muitos amigos nos Açores (pensava eu). Quando lá vou a primeira coisa que penso e FAÇO é ligar-lhes para estarmos juntos. Depois venho a saber que muitos (ou todos eles), quando cá vêm não dizem nada. O que é que eu faço?

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem