quarta-feira, março 12

Dias...


Tenho o privilégio de viver
mais célere ou mais sereno
mas com a regalia de puder
clamar a morte sem dor

porque de todo o fulgor
restam ânsias e medos
agora que ao Amor
deixei de dever segredos.

Homem sou, metade Pai
de outra metade a arte
homem que entra e sai
de vidas que continuam

memorias que se perpetuam
no vaso que à posse regressa
sorriem, indicam ou amuam
passam, devagar e depressa.

Abraços

21 comentários:

as velas ardem ate ao fim disse...

Sabes tenho a sensação que a minha vida passa exatamente assim.. devagar e depressa...
bjo

Um Momento disse...

E no Amor não há segredos
Apenas receios e medos
Que a dor nos traz agora sim...
em segredos
A dor queima,mata,destrói
Mas a morte sem dor ...
é o que mais nos dói...
Sem dor estamos quando já morremos
Dizem os entendidos que assim a vivemos
Sem dor...sem amor...
Será?
Porque senti tanta dor aqui...
Quer dizer que ainda não morri
E a quem eu leio se o senti...
É porque ainda vive...
E a dor...está em ti...
Em memórias,amuadas ou sorridas
Nas entradas ou saidas...
Mas passam...oh se passam...
Devagar ou depressa...
Acompanhado ou sózinho...
Estas memórias sem dor agora se abraçam...

Beijo nosso no Pai , na arte ...
A TI que ADORO

(*)

Menina do Rio disse...

Mas haverá morte sem dor,
e segredos sem amor?
Pois o amor guarda os medos
onde a arte se faz em metades
que se partem...

Um beijo confuso
:)

moonlover disse...

Maravilhosa!

a forma como compões o poema da (tua) vida!

Essa arte de que és metade
admiro-te pela força que representa

Que bom saber-te livre para escolheres o teu destino

Desejo-te muita sorte para esta nova etapa e serenidade para sorrires sempre.

dorutumuitissimo
um Lunarbeijo,
moon

M@ri@ disse...

Meu doce vizinho
Que bom te vejo de volta aqui.
A morte vem quando nao esperamos...
Que maravilha vivermos como bem queremos.
Ter amor mas nao dever nada,porque no amor tudo se partilha...
Deixo te um beijo doce
M@ri@

Boop' disse...

Segredos dificeis são aqueles que guardamos até de nós próprios. O que não queremos ou não podemos ver/sentir em nós.
Parece-me... parece-me... que náo tens fugido dos teus...

:)

impulsos disse...

Há sempre uma hora
Nas horas que passam
Ora devagar
Ora depressa
Uma hora para nascer
Uma para se amar
Outra para sofrer
Uma hora para chegar
Outra para partir
Para rir
Para chorar
Para morrer
Hora após hora
O tempo passa
E só não vive
Quem do tempo se queixa
Que passa a correr
Lamentando hoje
O dia de ontem
E talvez amanhã
Se lamente do de hoje
Por não o ter vivido
E o ter perdido
Em inúteis lamentos...

Dias
Escreveste lindo e eu gostei!

Beijo

Verônica Martinelli disse...

Dias de Herói
Eles também passam, devagar e depressa, não....
A arte convida-o a perpetuar memórias mas sejam de morte ou apenas de amor.

;)

Cindy disse...

Interessa é viver!!
Um beijo bom!

GarçaReal disse...

O passar da tua vida à nossa frente.
O caminhar pelo amor, pela vivência de ser pai, pelos acontecimentos que a vida acarreta com mais ou menos surpresas.
As memórias são sempre companheiras eternas..

Bjgrande em ti lá do Lago

M. disse...

Pedaço de ti em miniatura. Tudo vem, tudo passa, a quase tudo se regressa.

Beijo

tibeu disse...

Temos que aproveitar a nosa passagem por este mundo. Chegamos, permanecemos e voltamos. Uns mais cedo que outros, nunca percebi o critério. Só Deus sabe. Bom fim de semana

Joanne disse...

Gosei muito, mesmo muito das tuas palavras.

Um Momento disse...

E porque há Dias e dias ...te deixo um mimo em forma de carinho abraçado a um beijo nosso

Gosto-te!

(*)

PHANTASMA disse...

A morte é algo difícil de aceitar, com ou sem dor.

Aceitar a morte demanda uma certa dose de coragem, mas quando a aceitamos passamos a viver em paz connosco.

Não deixa de ser um desafio a luta interior para triar as memórias que para sempre ficam escritas nas páginas do passado.

Existirá sempre um anjo mais carente de atenção e companhia que levará alguém pelas suas mãos.

DIAS:

Aproveito para dizer que estou de regresso.
Aparece que a casa é toda tua.

Beijos e Abraços

666 disse...

De onde quer que partámos todos caminhamos para um destino desconhecido mas inexorávelmente previsível.
A qualquer momento:
Time´s up!
Welcome to hell!!!

666

Ana Luar disse...

Eu gosto que passem serenos todos os “Dias” de um segredo revelado de qualquer morte tardia.

beijos muitos

Teresa Durães disse...

tenho o poder de viver muito depressa também assim como ter o longo cansaço dos traços marcados

as velas ardem ate ao fim disse...

Boa semana.bjo

Lídia disse...

... a vida passa há mesma velocidade... assim o penso.

Pratas disse...

Mas que belo texto. Gostei especialmente do "homem que entra e sai, de vidas que continuam" belo belo belíssimo. Palmas.

Abraços

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem