sábado, fevereiro 7

Eu (ainda) tenho dois amores

Miúdo a velho quatro amores sou.
Amores que lembro sem precisar
existem-me em cada trago de vida
nas veias, nas pregas, no respirar.

Já Inverno dentro Pandorei o dogma e,
Inverno ainda, já o sei sem assumir
que quatro amei mas hoje metade amo
cresço mais sem este lastro no sorrir

É inato a estrada fasquiar percepções
mas não me sinto de mim amputado!
Talvez um pouco da vida burlado...
Atónito apenas, invalido de emoções
por amores tão grandes que alma me são,
do amor secarem para apenas paixão.

Hoje despeço-me de dois amores eternos
certo que os nomes que lembro sem precisar
eternamente se me destinam a amar
mas eternamente já não me são invernos
porque dois amores tenho ainda em mim
que banalizam principio meio e fim.

16 comentários:

Goddess Night disse...

Os que nos ficam retidos são sempre os mais fortes, por razões que o coração deconhece! São sentimentos como esses que deixam à deriva, poetas como tu:)
Um abraço fixado no teu sorriso, porque esse não devia desaparecer nunca.
Ficas para sempre, esteja eu onde estiver:D

M. disse...

E um deles sei-to tão bem, é doce e pequeno mas forte como tudo. O outro desconheço mas desconheço-O em todos os [seus] sentidos. Gastou-se demasiado. Não quero é que te gaste o respirar ;)

Beijo.

Estás "windo" ali quer gostes quer não.

Moura ao Luar disse...

Acredito que na vida podemos amar infinitamente... em cada olhar, em cada voz, encontramos um pouco de nós.

Mary Joe disse...

http://desaltosaltosvarios.blogspot.com/

escarlate.due disse...

já toda a gente sabe que eu sou meio lerda com poesia e por isso mesmo tenho dificuldade em gostar. mas gostei desta! gostei mesmo!
e dois amores? eu tenho muitos mais :) sou daquelas que acham que se pode amar de multiplas formas e nunca é demais.
só não gosto de despedidas :(

Teresa Durães disse...

hum... rei morto, rei posto. Essa história de conservar amores mais parece como autocolantes. Nã, para mim não serve. Live and let die

Carla disse...

ficam em nós amores...fica em nós a dor dos amores que partem...seja ela a ausência que for
beijos

as velas ardem ate ao fim disse...

a mim as despedidas doem me estupidamente.é como ficar sem parte de mim...talvez por isso não haja meio de me por de pé.


um bjo mto sentido

moonlover disse...

Amores que ficam num cantinho,
em backup,
como numa página de um livro,

Mas é lindo demais A. este poema!

Um beijo derretidoo,
moon

A pata brava disse...

Uns partem, outros ficam!
A vida é mesmo assim, feita de "reciclagens".

Beijinho
P.B.

Branca disse...

Há várias formas de amar...mas há amores que são mais especiais que outros e esses qdo partem deixam um vazio, uma angústia, uma saudade imensa...


bjos.

Camila disse...

amores que devagar se apoderam de nós, nos abraçam a vida.
amores que ficam.
os amores que tenho poderão partir mas cuidarei para sempre em mim da sua morada e a cada momento abençoarei a sua chegada

disse...

Acredito! Vejo-o! E Sinto-o!
Esses dois vão ser sempre teus provavelmente, um de uma maneira e outro de outra...
Beijo grande!

Pratas disse...

Ai os amores da minha vida, o que este texto mos fez lembrar...

Papoila Sonhadora disse...

Passei: deixo-te um bj

Carla Silva e Cunha disse...

gostei do que vi e li
parabens pelo trabalho
boa semana
beijinhos
Carla

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem