sexta-feira, novembro 28

Inquieto

Abriu-se-lhe o Inverno no corpo. Saudou com carinho as mazelas de uma vida, recordando hoje sorrindo, os acasos que as pariram.
Responderam-lhe no incómodo as mazelas, erguendo-o da cama para o sofá. Regressarão todos os frios, todos os maus jeitos, enquanto vivo for.
Fechou o sorriso no fim da memória.

Chovia, claro. Tinha-o prevenido a vizinha infalível... como se precisasse de alertas para saber de uma amiga... basta-lhe estender a roupa ou precisar de chorar que ela vem, a chuva, a sua amiga.

Olhou a PS3. Não conhecia nenhum solteirão credível que não a possuísse. Faltava-lhe vinho no frio, um conjunto de preservativos temáticos, e uma boa colecção de Jazz. E faltava-lhe mulher!
Mediu-se nos ensinamentos dos tantos solteirões que inquiriu na incompreensão do estatuto, eles que lhe garantiram que meses passados se perde a inquietude do sexo...

Mais que uma juventude de football e que os entorses de uma vida de paintball, maçava-o Janeiro no Peogeot, felizmente não no pescoço mas no lombo.
Puff, rogou o lombo, e até ao puff a libido os seguiu, inquieta.

Ordenou-se um basta. Trajou os calções e foi ter com a chuva, corre-la... e no regresso, não encontrou as mazelas, inquieto apenas... apenas inquieto.

Foto by me

in FIBDA 2008
Ilustração Digital by Huanhuan Zhang

16 comentários:

moonlover disse...

As mazelas deixam marcas para nos fazer recordar!

Chove agora mas de um modo que me faz recordar um smooth jazz.

um abraço chuvoso de beijos
*b

Teresa Durães disse...

nada como uma chuvinha para se deixar d pensar nas mazelas. ser-se solteirão não é assim tão mau, ehehe, vai-se e vem-se sem amarras.

(o texto com a presença de lusitanos é mais constante na minha escrita do que parece!)

escarlate.due disse...

"Ordenou um basta"
Gostei desta parte :)

Gaivota disse...

Quando o corpo deixar de estar ocupado com o frio e o cansaço a dor das mazelas por sarar voltam. Há que curar as feridas, não tentar esquece-las.

Beijo

A pata brava disse...

As mazelas fazem parte da nossa vida. É com elas que aprendemos e nos tornamos mais fortes.
Chorar é bom! Alivia a alma e, acima de tudo, faz bem aos pulmões! lol
Mas não te esqueças que, as feridas que nos causaram as mazelas, só não nos causam "desconforto" futuro se as encararmos e as resolvermos (curarmos).
Para isso é que servem as terapias. Obrigam-nos a pensar nas feridas, no desconforto, obrigam-nos a encarar as situações para que, no futuro, olhemos para elas como algo que nos fez crescer e não, como algo que nos magoa e nos perturba.
Pensa nisso!
Precisas de ajuda?
beijinho
P.B.

isabel mendes ferreira disse...

beijo. de bom fim de semana.



sem inquietações....:)

pelo menos não mais dos que as necessárias para sobreviver...


_______________até breve,

as velas ardem ate ao fim disse...

Olá!

passei para deixar um bjinho


(um dia destes temos que combinar um cafezito)

Lídia disse...

... mazelas que nos tatuam o coração. Aprendemos com elas, assim o deveria ser. Bj

Lucí disse...

"... E as feridas dessa vida eu quero esquecer.."

Bjo, bom final de semana!

Carla disse...

assim são as mazelas, marcas em nós! Mas da inquietude gosto...faz-me sentir viva, mesmo que inquieta!
beijos e bom fim de semana

Um Momento disse...

A foto... belissima...
faz-me lembrar a luz no fundo... não do tunel , mas lá bem no horizonte...caminha, corre, apanha a chuva , bebe-a , abraça-a...
A inquietude por vezes pode ser uma forma positiva de "querer mais e mais"... ou só e apenas de traçar o que se pretende e de alguma forma recear o que há-de vir...
Nada de receios , pois "ordenou-se um basta"
E a chuva amiga acompanha-te e faz-te sorrir beijando as mazelas, refrescando a alma , alimentando o coração...
E...

Cheguei sim meu Querido , e agradeço-te o ajudares-me a carregar as malas...
Em montes de sorrisos te enlaço num abraço grandeeeeeeeee e deveras agradecido... por estares , por seres... e por tanto bem te querer e muito mais haveria a dizer... mas tu sentes...

Sopro-te um beijo nosso nesta noite de tempestade de sorrisos onde a chuva nos abraça

Gosto-te muito!!!

(*)

Menina do Rio disse...

O correr na chuva, elimina as mazelas; a inquietude permanece...

Um beijo soprado ao vento

Goddess Night disse...

"Abriu-se-lhe o Inverno no corpo."

Esta quase tremenda honestidade com que escreves, só por si é inquietante!

Amei cada palavra:-). Lindo!!!

Beijo um só, mas o mais carinhoso até hoje:)

Assinado:
Artista do PIJAMA:):):)
P.S. Claro que és bem disposto...

M. disse...

Venha ela sempre mais e mais a chuva chorada se assim te narra e te serena a inquietude. Eu abrigo-me aqui de vez em quando, como gosto. Abraço imenso.

Dias disse...

MOON
Chove-me sempre amiga.
Beijos

TERESA
Sou gajo para ir e vir, mas com amarras.

ESCARLATE
Obrigado

GAIVOTA
Obrigada e um beijo

PB
Não obrigado, e, nunca acreditei em terapias que incluissem mais alguém que eu proprio :)
Beijinho, muito muito muito muito grande

ISABEL
:) Não mais que as necessarias para sobreviver, segundo os padrões de quem?
Breve até

AS VELAS
Não bebo café e não aceito convites para cafezinhos, mas convida para qualquer outra coisa que eu aceito :) e pago. que é o minimo que posso fazer por quem tem a pachorra de ha tanto me acompanhar.
Abraço forte

LIDIA
Um Bê e um Jota para ti

LUCI
Bela citação, obrigada.
Beijo, bom inicio de semana

CARLA
... só que eu não estava habituado a sentir-me inquieto...
Beijos

UM MOMENTO
Afoga-me ter esta exuberancia tua de regresso..
Um beijo nosso

MENINA
Obrigada e no vento dois beijos.

GODDESS
Muito obrigada Sis dos trajes menores :))))
Não te consigo dar so um beijo... 14 talvez.

M
Um privilegio abrigar-te, de vez em quando.
Imenso Abraço

Pratas disse...

Gostei muito deste texto. Estão mas e a colecção de Jazz, onde está ela? :)

Nice foto by the way ;)

1 Abraço!

Minha foto
Algés, Oeiras, Portugal
eu sou quem